Páginas

segunda-feira, 20 de julho de 2015

O Anjo e o Lobo

Já dizem há tempos que todos nós carregamos dentro um anjo e um lobo.
Quando feridos, acuados, amedrontados, enfrentados e humilhados podemos - sim, qualquer um de nós - até mesmo a despeito do nosso conhecimento ou vontade, ver horrorizados o nosso irracional emergir e se tornar o protagonista da nossa história. E que estrago esse nosso lado animal pode fazer!
Sim! Ele, assim como a fera ferida,  tem patas ao invés de dedos delicados, ele uiva e não toca flauta, é pesado; não diáfano.
Pior, é predador; não encantador e acolhedor.
Ele, na maioria das vezes, na ânsia de se defender ou de extirpar o que está lhe ferindo mortalmente, a título de defesa, pode morder e matar. Sua dor lhe deixar cego. Seu pedido de socorro pode ser uma arma!
Realmente, é uma pena todas as vezes que ele ocupa o palco de forma indevida e desarticula toda uma trama que deveria seguir seu curso normal, de maneira harmônica e bela! E com os seus uivos raivosos assusta e põe a correr atores, plateia e todo o corpo técnico.
Talvez, a única solução para domá-lo seja olhar nos seus olhos e, ternamente, lhe mostrar que seu medo ou seu machucado serão aplacados e cuidados. Como zelo! Com carinho! Com atenção! Que poderá confiar que o remédio poderá estar dentro dele se puder deixar o anjo vir à tona e, com seus movimentos sensíveis  e leves, aplacar qualquer dúvida e desacordo.
Já dizem há tempos que só o amor e o perdão curam!
Ah, quero crer que eles estão certos! Pois, na  minha vida, jamais conheci antídotos mais poderosos e eficazes. 
São remédios naturais que não têm contraindicações ou efeitos colaterais.
Eles têm origem aonde não cabem ressentimentos nem mágoas.
Seus poderes curativos e reparadores são mágicos. Transformam causas perdidas em possibilidades de mudanças necessárias. Abrem canais de comunicação e do diálogo que prometem reparar machucados, purgar impurezas e toxicidades, aliviar dores alojadas na alma. Põem fim nos medos que congelam e destroem. Dão paz para os espíritos atormentados.
E, principalmente, sanam, refazem e reforçam os laços das relações doentes....
Já dizem há tempos....
Que assim seja hoje e sempre!
Escrito por Anitha em 20 de julho de 2015

2 comentários:

  1. Anitha, fera que, quando atacada, defende-se com palavras amenas e amáveis, com olhares meigos e carinhosos e revida os ataques recebidos com sorrisos suaves e afetuosos.

    ResponderExcluir
  2. Ary, meu amigo:

    Ah, como eu gostaria que o meu anjo interior fosse mais atuante e que sempre, mesmo ferida, me sentisse apta a recorrer à minha brandura.
    Nem sempre dou conta.
    Mas tenho fé que um dia, quando menos eu esperar, possa ser abençoada com essa almejada tranquilidade e sabedoria!
    Sempre grata pela sua carinhosa presença aqui, deixo-lhe um abraço!
    Anitha

    ResponderExcluir

Agradeço a você que acabou de visitar o meu blog, e, mais, que gentilmente deixou o seu comentário!
É sempre um prazer receber você!
Portanto, apareça mais vezes!
Beijo,
Anitha