Páginas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Pasmo e Encantamento...


A natureza nos oferece gratuitamente todo um transbordamento de beleza e de encanto que se renovam continuamente...
Que nós, seguindo o seu exemplo, possamos em nossa caminhada por essa galáxia ser bons de coração, abundantes, generosos e amáveis de maneira habitual! 
De forma que no nosso dia a dia ao optarmos por ter atitudes conscientes, pelo agir amoroso, de alma pura e sem nenhuma outra pretensão além, possamos causar pasmo e enlevo nas pessoas que se aproximarem de nós...
Escrito por Anitha em 30.10.12

sábado, 6 de outubro de 2012

O pulo do gato...

O bonito de estarmos vivos, dentre tantas coisas, é podermos  mudar de opinião, de rota e de escolhas. 
Ter a nossa frente a possibilidade de criarmos novos passos, desejarmos imaculados sonhos e até mesmo revermos atos e atitudes!
É confortável também desfrutarmos do privilégio de bem exercitarmos os nossos quereres, se assim quisermos, e de sermos protagonistas de nossas histórias, acertos e delírios!
Agora, o melhor, o pulo do gato, é quando não tangenciamos da prerrogativa de optarmos por estar em paz com a nossa consciência, com as pessoas que nos rodeiam, e, bênção das bênçãos, com aquelas que fizeram -ou ainda fazem - morada em nossos corações!
Escrito por Anitha em 5.10.12

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

"Nunca mais"...


Se houve afeto mútuo...e se ainda há, o "nunca mais" é muito tempo, é um tempo  com plena possibilidade de se esgotar prematuramente no seu decurso...quando já não perde a finalidade pretendida de distanciamento em sua própria concepção.  
É! Pausa e reflexão após um período de distanciamento e mágoa deram origem ao escrito acima.
Constato, agora com facilidade, que em ocasiões aonde permito que a insegurança, frustração ou baixa autoestima se instalem é quase certo que ficarei suscetível ao ciúme e a raiva.
E se manifestando, como consequência, o sofrimento se exacerba, e aí as minhas decisões costumam ser definitivas e para sempre. E naquele exato instante elas são reais e decisivas!!! 
Contudo, ainda bem, elas duram o tempo necessário para que eu digira e compreenda o descompasso....e assim, quando a emoção doida e exagerada passa, também passa a vontade de me separar...do ficar para sempre longe...

 Anitha em 3.10.12