Páginas

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Olhar sábio




E agora?
Ah, neste instante o mais digno que temos a fazer é olhar para o passado com desprendimento, benevolência e gratidão.
Afinal, foi preciso descobrir atalhos e percorrer todo esse caminho para nos encontrarmos onde estamos hoje.
Além do que - o principal - somos obrigados a constatar que não temos o poder de mudar nem mesmo uma vírgula na nossa história já escrita.
Então, se assim é, adiante, avancemos com corações leves, olhares carinhosos...pra frente e pra trás!
Escrito por Anitha em 30.6.11

Luz e Brilho


E não é que - como tudo na vida - existe o lado bom, surpreendente e valoroso do baixo astral?
Sim, esse aspecto benéfico se revela quando se busca vencer as resistências, aquelas que tornam a estagnação na tristeza um ganho; e com vigor, coragem e determinação se volta para dentro.
E lá - soberbos e ofuscantes -  encontrar a luz e o brilho que faltavam no cotidiano!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Simples assim....

De atitude e sentimental
Tenho nome das minhas avós
E apelido de uma só.
Orgulho-me da minha linhagem.
Mulher de palavra sou!

Não possuo qualidades superlativas
Nem defeitos terríveis.
Portanto, nem santa e nem vilã.
Não faço feio, dá para o gasto,
E me viro bem com o que tenho

Viciada em escrever
Tanto quanto em ler,
Amo as palavras, todas elas
E cada uma em particular
Pelo sentido ou sonoridade.

Aprecio as horas noturnas,
Filmes europeus, causos,
Céu estrelado, dançar,
As trocas, gargalhar,
Poesias de boa qualidade,
E a delícia de jogar conversa fora.

Acho o máximo e faço
Com intuição e conhecimento
Análises de mapas
Numerológicos e astrais.

Sugiro Florais
Decifro mãos e caminhos
Garimpo livros e peças de brechó
Amo descobrir afinidades,
Apreços e porquês.

Trago como fiéis companheiros
Desde a terna infância
O bom humor e a alegria.
E esses dois e o bom caráter
Faço questão de deixar de herança.

Oscilo entre oito e oitenta
Quero sempre e muito
Ou nem quero ver...
E quando quero
Não me faço de rogada
Amo de paixão,
Sem meios termos
Não imponho condição.

Cultivo umas certas manias
Falar fitando dentro dos olhos
Passar creme e perfume
Inclusive pra dormir.
Não sair sem brinco,
Blush e batom.
Fazer listas e mais listas.
Não descer nunca do salto
Inclusive, e sobretudo
Quando saio para balada.
Ser curiosa ao extremo.
E frases e pensamentos colecionar.

Não gosto de água gelada.
Pessoa maledicente, chata
Mal educada ou mal humorada.
Que é desleal, aproveitadora,
Nem daquela que desvia o olhar 
Mente sem ao menos ficar vermelha
E não cumpre o que promete.

Ah! Que delícia comida pelando.
Queijo de toda variedade.
Coração enternecido e quente.
Doce de leite com marolo da minha mãe.
Carícias, beijo molhado
Cafuné, sintonia e gente!
Sobretudo, e principalmente,
Se for leve,  boa, feliz
Do bem e inteligente!

Sensual...Feminina...
Intensa...Dona do meu nariz.
Sentidos plenos e atentos.
Arrisco e me jogo.
Me rendo, me entrego.

Às vezes, é óbvio,
Por pura precaução
Paro na esquina. Literalmente.
Faço isto, também, na vida.
Espero o sinal verde.

Acredito que há vida após a morte.
Que Deus é a força maior.
Creio na força do pensamento.
No amor como solução.
Nos ciclos e mudanças.
Nas escolhas e responsabilidade.

No efeito das consequências.
No valor e peso da consciência
E que o melhor ainda irá acontecer.

Quero muito
E mais ainda
Usufruir da liberdade 
De ser quem eu sou
De ir e vir, sentir
De expressar, calar,
Permanecer, mudar
Amar, fazer opções
Quando e conforme
Eu quiser e me convier.
Escrito por Anitha em 29.05.10

segunda-feira, 20 de junho de 2011

SER e ESTAR

Ser é raiz
Estar é voo

Ser é destino
Estar é opção

Ser é causa
Estar é conseqüência

Ser é sustentação
Estar é abertura

Ser é o ponto
Estar é a travessia

Ser é a margem
Estar é a ponte

Ser é desde sempre
Estar é daqui pra frente

Ser é forma
Estar é conquista

Ser é o que antecede
Estar é um vir a ser

O melhor é aliar
Ser e estar
Estrutura
e possibilidade...
Escrito por Anitha em 11.02.09

Um Plus...


Se a loucura, assim como a brandura,
não fizesse parte da nossa natureza,
certamente, perderíamos o imponderável
e o mágico de nossas vidas...
Escrito por Anitha em 24.11.10