Páginas

domingo, 12 de março de 2017

Várias, sou!

Assim como as bonecas matrioskas, várias, sou!
E me permito transitar entre os meus cômodos, sótãos e porões, sem hora marcada, sem me fixar e sem preferência de espaço. Afinal, o todo é um mistério a ser desvendado e por isso mesmo me seduz. A ele me entrego. Sem receios desnecessários; de peito aberto.
Aprecio descobrir mais e mais partes do meu ser. Ir atrás dos meus elos perdidos, das sombras e daquelas fadas que, graciosamente, há tempos habitam em mim!
Escrito por Anitha em 12 de março de 2017

6 comentários:

  1. Vc não disse que tinha este talento. Escreve bem para caramba.
    Vamos conversar sobre esta surpresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito agradecida, Josias!
      Pois é,convenhamos,que é muito bom quando podemos surpreender ou ser surpreendidos, não é mesmo? Então...rs...
      Ah,como já lhe disse, qualquer hora a gente se vê por ai.
      Tudo de bom para você!

      Excluir
  2. Que linda analogia usaste Anitha.
    Mas es tantas, que seria difícil coloca-las uma dentro das outras, pois tuas qualidades, são tantas e iguais e do mesmo tamanho. O carpinteiro Sergei teria de talhar todas do mesmo tamanho e seria infinita as bonecas a serem talhadas. Nunca nos deixe orfãos de teus escritos. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, não tão anônimo assim...

      Primeiro, agradeço-lhe por suas palavras tão gentis e até mesmo abundantes!
      Abundantes,porque superlativam a minha maneira de ser!
      Reconheço, tenho, sim,a meu favor ser quem eu sou.
      Procuro não deixar espaço, me faço, entro no compasso, me caço, me entrego, aperto e afrouxo o laço, me encaixo, danço conforme à música, me procuro, me acho, me perco, recomeço, transbordo!
      Contudo, tão falha, tanto a crescer, aprender, evoluir,amar, se dar, ser!
      Então, a média não há.
      O que sobra não completa; o que falta não sacia.
      Então, é fácil deduzir, que nada é pronto. Nada é pra já. Nada se esgota. Nada! Nem eu!
      Deixo aqui, para você, o meu agradecimento e um grande abraço

      Excluir
  3. Respostas
    1. Anônimo, não tão anônimo!

      Como duas pessoas tão diferentes, em um tão pequeno espaço, deram preferência a palavra caramba, tive curiosidade de entendê-la um pouco mais.

      Descobri que a sua origem ou etimologia é espanhola.
      Que ela pode ser usada como interjeição.
      E que, sendo assim, terá expressão de surpresa, espanto, susto, admiração, raiva, descontentamento, decepção
      Exemplo: Mas, caramba, ela não podia ter feito isso!
      Caramba, isso sim é algo interessante de se ver!

      Já como advérbio: Muito, de modo excessivo, exagerado.
      Exemplo:
      Ela encanta para caramba!
      Eles têm afinidades para caramba!

      Sinônimos de Caramba:poxa, nossa, exageradamente, muito.

      Então, sabendo, agora, que o leque para o seu uso é grande, deixarei a seu cargo me dizer qual foi a sua intenção em empregá-la...rs...
      Sem mais,
      Um abraço

      Excluir

Agradeço a você que acabou de visitar o meu blog, e, mais, que gentilmente deixou o seu comentário!
É sempre um prazer receber você!
Portanto, apareça mais vezes!
Beijo,
Anitha